Há quem acredite que ela veio mesmo para revolucionar a compra de mídia, enquanto outros acham que não passa de enganação e não enxergam resultados tangíveis.

Há quem esteja desesperado porque ainda não entendeu nada sobre este universo e há quem simplesmente decidiu ignorar.

Antes de começar este assunto, acho importante contar que, em 99,9% das apresentações que fiz sobre este tema, me deparei com clientes, alunos e colegas muitas vezes assustados, preocupados (para não dizer desesperados) por achar que nunca entenderiam os conceitos e aplicações da programática.

Se você está lendo este texto, provavelmente tenha as mesmas angústias. E, acredite, eu também tinha (e ainda tenho sempre que inventam algo novo na nossa área). Quando surge uma novidade muito grande, meu primeiro pensamento é: “agora que eu estava confortável, vou ter que aprender tudo de novo?” E aí, lá vou eu estudar, perguntar, desvendar, chorar no banheiro (brincadeira, mas dá vontade).

A verdade é que o Marketing Digital é isso mesmo. Nosso papel como profissional é construir uma base emocional que nos permita ir atrás do conhecimento ao invés de entrar em desespero (estou aprendendo e praticando isso aos poucos).

Por isso, tenho algumas considerações que servirão como base para que aproveite este artigo (e outros que vier a ler sobre o assunto) da melhor forma:

Não se desespere. Leia, releia, decore, pratique. Se você substituir o desespero pela prática do estudo, quando menos esperar vai ser um expert — e isso não depende de QI, idade, ou qualquer outro fator a não ser força de vontade;

Continue buscando conhecimento constantemente. Não se prenda apenas a este artigo! Existem muitos materiais bons por aí para quem quer aprender (que vou indicar para vocês em um próximo momento) e o melhor: DE GRAÇA;

Como sabemos, o Marketing Digital muda o tempo todo. Por isso, costumo dizer para os meus clientes/alunos/colegas que não achem que eu ensinei errado se em pouco tempo este artigo se tornar obsoleto. Realmente a movimentação é muito mais rápida do que conseguimos acompanhar. DON’T STOP!

Afinal, o que é mídia programática?

Quando preciso resumir em um tweet, digo que nada mais é do que uma maneira prática e automatizada de compra e venda de anúncios.

Agora, vamos embasar um pouquinho com 5 tópicos que introduzem o infinito universo da programática.

1) A compra programática surgiu da adaptação de um pensamento de canais para um pensamento de audiências, deixando de usar a web somente como agrupamento de pessoas para atingir a audiência específica onde ela estiver.

Tome como exemplo estes dois casos de um anunciante do segmento automotivo. A 1ª imagem representa a compra tradicional enquanto a 2ª representa a compra programática.

Imagem 1: compra tradicional
Imagem 2: compra programática

2) Este tipo de compra não surgiu do nada: foi o resultado de uma evolução na compra de mídia, juntando tecnologia (automatização do processo de compra) e dados (conhecimento da audiência);

Entenda por tecnologia toda a parte relacionada à leilão, como ferramentas de RTB (real time bidding), disponibilização de inventario por parte dos veículos, etc.

Em relação aos dados, são as ferramentas que mapeiam o comportamento do consumidor e traçam seu perfil através disso, permitindo a compra por audiência (famosas DMP’s que falaremos em seguida);

3) Ela cresce porque atende a necessidade dos anunciantes e consumidores:

Anunciantes: acesso rápido ao vasto inventario da internet, possibilidades exclusivas de segmentação, eficiência com menor dispersão na entrega de campanhas para públicos específicos;

Consumidores: contextualiza a publicidade de acordo com as expectativas dos consumidores, proporcionando relevância, fluidez, controlando a frequência independente do dispositivo (CLARO, SE FEITA DA FORMA CERTA!)

4) A estrutura pode parecer complexa, mas todo o processo de compra de um espaço não dura mais do que 50 milisegundos. UM piscar de olhos leva 300 milisegundos!

Ao mesmo tempo em que precisamos saber de todo o processo, ele é automatizado e você não vai acompanhar o passo a passo porque é tudo muito rápido e automatizado. O seu papel como profissional de marketing é estruturar a ferramenta para que ela trabalhe por você.

Por isso é tão importante PLANEJAR: conhecer seu target, decupar seus interesses e hábitos de navegação, definir o quanto este usuário vale (o quanto você deseja pagar para impactá-lo), qual período de campanha, quais materiais você dispõe (vídeo, banner, link patrocinado, email marketing, etc), quantas vezes você deseja impactar cada usuário e por aí vai…

5) A compra programática não vai acabar com seu emprego.

Estas mudanças na área de mídia com certeza forçam uma mudança no perfil ideal do profissional de Marketing Digital, mas tecnologia nenhuma vai substituir as pessoas que atuam desde o planejamento, operação e acompanhamento dos resultados.

O que difere o perfil de um profissional tradicional vs. atual é que ele precisa:

– Entender de pessoas e negócios: para estudar o target, o segmento, o mercado concorrente e transformar estas informações em dados úteis para construir a estratégia completa;

– Ser muito mais técnico: conhecer estas novas tecnologias, estar antenado, ser curioso e questionador para que possa desfrutar do melhor que a programática (e outras inovações) têm a oferecer;

– Perfil analítico: tem que saber mexer nas ferramentas, acompanhar resultados, otimizar, otimizar, otimizar e buscar o melhor resultado a todo momento.

A ferramenta (não só de compra programática, mas todas as outras mídias digitais) só funcionam bem quando têm um bom profissional por trás planejando, executando, acompanhando, otimizando. Portanto, MÃOS À OBRA.

Este assunto rende tanto, mas tanto, que esta é apenas a introdução de uma série que ainda vai abordar segmentação, leilão, mitos vs. verdades e muitas outras dicas.

Me siga aqui no Medium e não deixe de acompanhar.

Se gostou, compartilhe. 😉

Se tiver dúvidas, sugestões, quiser me contratar para aulas e palestras, entre em contato: blopesbarros@gmail.com

Super beijo!

Bru Lopes



SOURCE

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here