Babsom College — Executive Program

Nas últimas semanas tenho feito uma imersão no ecossistema de Boston nos EUA, e um dos meus principais focos foi entender o mindset por trás dele. Certamente a abordagem de crescimento dos ecossistemas de Babson College e um dos seus grandes influenciadores e líderes é o professor Daniel Isenberg. Participei do programa Driving Economic Growth through Scale-Up Ecosystems, com o professor e a ideia é compartilhar quatro principais ideias desta abordagem e suas implicações para os ecossistemas nas próximas linhas.

  1. Crescimento das empresas é tudo o que importa

Eu um primeiro momento, pode parecer óbvio, mas abordagem de Babson é obsessivamente focada no crescimento rápido das empresas do ecossistema, e isso é realmente tudo! Diferente de outras abordagens, não há nenhuma orientação de tipo de empresas, grandes ou pequenas, familiares ou não, com ou sem base tecnológica… O que importa são suas bases para crescer o mais rápido possível!

O professor Daniel sugere que o senso comum é: primeiro construir uma base de startups e depois, do seu desenvolvimento viriam as scaleups. Ele argumenta que idade da empresa não importa, se a organização tem as bases necessárias, ou o potencial para crescer rápido. Para ele, focar nessas empresas de alto potencial de crescimento é a forma mais rápida de se atingir resultados econômicos no ecossistema, trazendo um ciclo virtuoso e de prosperidade da forma mais fácil e consistente possível.

É comum exemplos de padarias, restaurantes e até mesmo de serviços funerários em seu programas. Nessa abordagem, a ideia é ser realmente agnóstico de qualquer característica da empresa! Os negócios tradicionais (e não tradicionais) são muito bem vindos, desde que tenham as bases para crescer.



SOURCE

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here